27 de maio de 2010

Noites Desiguais - Geise Cruz

Está uma bela noite,
Uma noite sem luar,
Sem teu cheiro, teu sorriso,
Sem alguém pra me abraçar

As folhas não balançam
As pessoas são alheias
Tudo tão normal e
Desigual ao mesmo tempo

Algumas estrelas no céu
Insistem em manter o brilho
E eu insisto em manter
Esse amor aqui, vivo !

Olho tudo e nada vejo
Nada que possa me ajudar
A esquecer de ti 
E das noites ao luar

Das noites sublimes que passei a teu lado
Do carinho, aconchego, dos seus risos abafados
E é nessas horas que me pego a pensar em ti
Em tudo que vivemos, o que passei, o que senti

E percebo que nada mudou
Nem quem tu és,
Tão pouco quem sou,
Nada mudou entre você e eu...

Um comentário:

Sony Lins disse...

Nhay adoro seus poemas... Lindooo esse! =)